O filme Música entrou no catálogo do Prime Video na quinta-feira (4) apoiado em Camila Mendes (“Riverdale”) e Rudy Mancuso (“The Flash”) casal da vida real que vive um casal também na ficção. A dupla protagoniza o longa que para além do romance explora a relação dos personagens com a música e o sentimento de pertencimento, mesmo em terras estrangeiras.

A trama segue na história de um jovem (Rudy) que tem sinestesia – fenômeno neurológico que o faz ter a percepção de vários sentidos ao mesmo tempo – e como um bom jovem, vive atordoado pelas incertezas do futuro, enquanto no meio disso tudo ainda tenta equilibrar sua vida amorosa, familiar e cultura brasileira vivendo em Newark, Nova Jersey.

Tendo uma hora e meia de duração e direção do próprio Mancuso, o longa é inspirado na vida do diretor com roteiro co-escrito por ele em parceria com Dan Lagana (“American Vandal”). O longa-metragem se destaca pelos diálogos simples, precisos até mesmo nas críticas de situações do dia a dia, e apesar da boa química entre os principais atores. É possível notar também a falta de desenvolvimento do casal principal, a história é bem distribuída e essa falta é pelo fato de não se concentrar apenas no casal principal.

A direção de Mancuso é criativa e dinâmica, a utilização dos recursos visuais e coreografias dão vida à música de Rudy, deixando a produção num filme único, que faz o espectador sentir diversas emoções juntas. E por se tratar de um filme musical, um dos grandes acertos é a composição dos cenários, a ambientação que se passa em uma das maiores comunidades brasileiras nos Estados Unidos, tem cerca de 20 mil brasileiros entre seus 300 mil habitantes, deixando um pedacinho do Brasil nos EUA.

Rudy Mancuso no filme original Prime Video — Foto: (Prime Video/Reprodução)

Nessa obra, as referências brasileiras estão presentes em quase todos os momentos, o que torna o público brasileiro mais próximo. Analisando de forma objetiva, é notável perceber trocadilhos sobre os estereótipos que as pessoas criam sobre o Brasil sendo tratados de forma cômica sem perder o objetivo real da mensagem.

A trilha sonora é representada pelo MPB e samba nas composições de Mancuso, além dos clássicos nacionais “Canta Canta, Minha Gente”, do lendário Martinho da Vila, que marcam o filme pela escolha musical raiz brasileira.

Contudo, a avaliação do filme “Música” é de 94% no Rotten Tomatoes, um grande feito para a estreia de um cineasta, ator e músico com um grande potencial que vale apostar e aguardar por novos longas de sucesso. E, por mais que seja musical, ele prende no contexto de desenvolvimento do enredo, fazendo com que as cenas musicais não se percam com os próximos diálogos.

É possível se identificar com algumas situações presentes na trama que só quem é carioca vai entender e, mesmo quem não for, vai se envolver pelo desenrolar até o final. Música é o filme para rir e refletir sobre ser possível vencer seus próprios obstáculos com um bom humor.

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *