Review | Greyhill Incident, terror clássico com proposta diferente

GamesReviews

Esta análise foi realizada com código fornecido pela Refugium Games. Agradeço a confiança no trabalho.

Todos nós provavelmente já assistimos filmes de conspiração, ficção cientifica e até mesmo terror, envolvendo aliens. Grandes obras, até as desconhecidas, sempre trazendo a tona os mistérios da famosa Área 51, de aparecimento de OVNI’s em plantações e entre outras coisas, dos famosos “cinzentos” que deixa a gente se perguntando se é real ou não.

Eis que, surge Greyhill Incident, um jogo do gênero survival-horror, desenvolvido e publicado pela Refugium Games, lançado para PS5, Xbox Series e PC, que nos leva a uma invasão alienígena no bairro de Greyhill, nos anos 90. Aqui confesso que foi um dos fatores que me fez interessar pelo jogo, já que é muito difícil ver jogos ambientados dessa forma, um dos últimos que me recordo ter jogado é Area 51 (PS2).

Aliens, aliens e mais aliens…

O jogo nos coloca no controle de Ryan Baker, um simples morador do bairro, que assim como outros moradores estão lutando para sobreviver em meio a uma enorme invasão (que só ocorre no bairro??), onde o governo americano está escondendo a verdade de todos e negando que aliens estejam atacando, ou seja, estamos por conta própria. Ryan, tem seu filho abduzido e cabe a nós sair ao resgate da criança, enfrentando inúmeros “cinzentos” pelo caminho, com um bastão de beisebol e uma arma.

A história do jogo é extremamente simples, aqui fica minha primeira crítica ao jogo, esperava um enredo bem mais desenvolvido, mesmo se tratando de um jogo indie, faltou um pouco de capricho no desenrolar da história. O mesmo ocorre com os personagens que encontramos pelo caminho, que são nossos vizinhos, são completamente esquecíveis e você simplesmente nem se importa com eles, por não saber nem quem são.

Como citado anteriormente, temos apenas duas armas no jogo, mas apenas a arma de fogo realmente neutraliza os aliens de fato, mas munição é como achar ouro, por isso, não espere contar muito com ela durante a jogatina. Jogatina essa que é bem curta, já que a campanha gira em torno de 3 a 4 horas, a depender das suas mortes, pois os checkpoints são extremamente longes um do outro. Para quem ainda deseja platinar o jogo, conseguirá tranquilamente em apenas uma jogada.

O combate do jogo, não é um ponto forte, já que o jogo foca mais no estilo “gato e rato”. Temos vários lugares para se esconder, desde latas de lixo, armários, debaixo de cama, dentro de carros, mas vai por mim, tentar ir furtivamente só vai te fazer perder tempo. O modo furtivo simplesmente não funciona, os aliens te encontram facilmente onde você se escondeu, mesmo sem terem te visto, te forçando a enfrenta-los mais frequentemente.

Ambientação honra os amantes do gênero

Greyhill Incident peca na historia, mas da um show em sua ambientação, principalmente andar em meio ao milharal e se sentir perdido, ao mesmo tempo sem saber onde os aliens estão de fato, os sons que eles fazem. Os gráficos infelizmente não são de nova geração, longe disso, são gráficos simples, mas não diminuem em nada a experiência do jogo.

Em nossa jornada de resgate, iremos passar por diferentes locais do bairro, desde celeiros, casas, plantações e é inegável que aqui o trabalho foi muito bem feito para nos fazer sentir ao ano que o jogo se passa e região que Greyhill se localiza, nos trazendo boas lembranças do filme Sinais (2002).

Vale a pena, mas não agora

Greyhill Incident definitivamente é um título que recomendo se você é amante de Arquivo X, Sinais, Area 51 e outras obras do tema. O jogo te faz mergulhar em uma boa experiência, apesar de extremamente simples e clichê, com certeza irá te proporcionar alguns sustos e momentos de desespero, mas infelizmente não vale o preço cheio, principalmente por ser tão curto. O jogo está custando R$149,50 na PSN Store, enquanto em seus concorrentes está R$112,45 na Xbox Store e R$73,99 na Steam. Recomendo aguardarem uma promoção, por um bom valor, para não ser uma experiência frustrante com o valor pago.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *