Review | Raccoo Venture é uma carta de amor aos anos 90

GamesReviews

Os anos 90 foi uma época de ouro para quem gosta de jogos de plataforma com bichinhos como mascote, podemos citar Banjo & Kazooie, Crash Bandicoot, Spyro entre outros.

Raccoo Venture chegou para atender essa galera dos jogos de plataforma, mascote bonito, carismático e cheio de referências que nós brasileiros vamos curtir bastante. Sem mais delongas, vamos para o review.

Agradecimento a QuByte Interactive por nos ceder uma cópia para análise
Versão analisada: PS5

Do que se trata o jogo

Raccoo Venture é um jogo de aventura em plataformas 3D com estética lúdica e gameplay no estilo retrô dos anos 90.

Raccoo não é apenas um simples guaxinim, ele é o último herdeiro do Poder dos Guardiões, que por muitos anos protegeram a Relíquia Sagrada, mantendo a harmonia em Verta. Porém os malvados Tatus Tatuados a roubaram e agora Verta corre um grande perigo.

O jogo possui 17 fases, onde boa parte delas da para finalizar muito rápido, porém, não te recomendo a fazer isso, pois para avançar para os outros mundos, você precisa ter pego uma certa quantidade de coletáveis.

Falando em coletáveis, temos mais de 140 itens para caçar, podemos coletar:

  • Peças de tabuleiro
  • Peças de xadrez
  • Saci Pererê
  • Trajes
  • Bolhas de ar

Alguns coletáveis vão exigir muito de você para explorar, pois encontrei muitas peças de tabuleiro em lugares que eu nem imaginaria que estariam lá. Agora os sacis, estão muito mais escondidos, fazendo coisas que nem precisam para finalizar a fase para conseguir coletá-los.

Temos também em algumas fases alguns caldeirões, onde você precisa levar uma fruta para cozinhar e liberar passagens ou coletáveis. Alguns ingredientes estão bem longe, exigindo que você tenha reflexos para chegar até o destino final.

Todas as 17 fases estão divididas em 5 mundos, sendo elas:

  • Aurora
  • Luma
  • Veta Central
  • Lurra
  • Kolara

A melhor referência que gostei no jogo todo foi o famoso Urubu do Pix, onde encontramos ele em cada fase para fazermos uma aposta, ou a famosa ‘fezinha’ como ele diz. Ao jogarmos na loteria, somente o urubu de outra fase pode te passar o resultado, os prêmios vão de 70 a 1000 moedas. 

O ponto mais alto do jogo foi simplesmente a trilha sonora, tinha horas que parecia que eu estava jogando Donkey Kong Country, relaxante e combina perfeitamente com cada cenário.

Gameplay

Como dito na introdução, o gameplay se baseia muito nos jogos dos anos 90, onde a gente se movimenta livremente pelo cenário matando inimigos, explorando cada canto e resolvendo puzzles.

Um ponto que não curti foi a falta de um outro movimento de ataque, pois para atacar o jogo vai ser sempre com ‘bundada’, fora isso, só podemos matar inimigos com os cogumelos explosivos que achamos nos cenários.

Sobre a barra de energia do personagem, a cada dano que tomamos perdemos 1 pedaço da vida, no total temos 6 pedaços. Quando morremos, nós perdemos 50 moedas por morte, e voltamos para o último checkpoint. Agora, se você morrer com menos de 50 moedas, você volta para o início da fase.

A variedade de inimigos é bem pequena, onde só muda algumas características como espinhos nas costas para não acertar do jeito tradicional, arco e flecha, e assim vai. 

Para quem está acostumado com ganhar novos poderes ao terminar cada mundo, pode se decepcionar um pouco. O único upgrade que ganhamos no jogo todo é o Bracelete Guardião, onde você ativa os cristais que encontramos nos cenários. 

Temos 2 cristais, um preto e outro branco, ambos têm o mesmo efeito, que é criar um clone seu temporário, a diferença é que o branco copia exatamente o que você faz, o preto tem o efeito contrário, ou seja, você foi pra esquerda, o seu clone vai para direita.

Além de Raccoo, temos alguns pontos que jogamos com outro personagem, que é o Pru, um pombo que te ajuda a passar por obstáculos que o Raccoo não alcança. Ele voa temporariamente e você precisa tomar cuidado para que a barra de stamina dele não acabe, pois se acabar no meio do voo, ele acaba morrendo e você perde 50 moedas.

Conclusão

Raccoo Venture é uma excelente carta de amor para quem cresceu jogando jogos plataforma nos anos 90, trazendo desafios bem elaborados e fator replay gigante para quem busca os 100%. Já para quem não curte puzzles, pode ser que não se divirta muito, pois ele exige muito das habilidades de exploração para prosseguir nos mundos.

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *