The Boys 4ª temporada. Créditos: Prime Video.

Que The Boys é uma paródia, isso nós sabemos. Contudo, o 4º episódio da 4ª temporada da série trouxe o cinismo, talvez em sua forma final, para nossas telas. É nesse episódio em que presenciamos a vingança hipócrita e infantil do Capitão Pátria e também o descontrole da Luz-Estrelar, propositalmente provocado pela Espoleta.

Agora, mais do que nunca, a série se propõe a criticar seu alvo.

The Boys realiza uma paródia da realidade, mas nem tanto

Neste episódio, acredito que dois foram os acontecimentos mais marcantes: a vingança do Capitão Pátria e o descontrole da Luz-Estrelar. Mas, para começo de conversa, vale lembrar: a Espoleta, razão do descontrole da Luz-Estrelar, é uma das maiores cínicas dessa história.

Ela representa muito bem o papel da mulher conservadora que, na verdade, goza de muitos “privilégios”. Ela se posiciona o tempo todo e busca disseminar seus ideais. Ela se veste como bem entende e pode até ter relações sexuais sem ter a sua honra arrancada de si para sempre.

Ou será que não?

Ao ser chantageada pelo Bruto, Espoleta pouco se preocupa em ter suas fotos tendo relações sexuais vazadas. Ela sabe que existe um grupo que vai relevar a situação. E isso só é possível por causa de muita luta feminista e revoluções sexuais.

Porém, como uma série que se propõe a falar dos grupos conservadores atuais, senti falta da representação de um grupo em específico: a dos homens que, assumidamente, odeiam mulheres. Isso porque basta pesquisar por algumas palavras-chave no Twitter, Facebook ou YouTube para encontrar homens que humilham pessoas como a Espoleta.

Já na série, o contrário acontece com frequência: a gente vê homens que idolatram a imagem da Espoleta o tempo todo. Isso existe, sim, mas essa não é a única figura masculina conservadora que encontramos por aí.

Na verdade, essa noção de que basta pedir perdão e falar: “Ops, eu tive relações sexuais com um menor de idade, mas isso é passado e agora eu sou uma nova pessoa”, pode até convencer algumas pessoas, mas não esse grupo – que, aliás, está em crescimento.

Esse comportamento aversivo às mulheres independe do seu arrependimento real ou falso. Basta que ela tenha feito sexo e, assim, será ostracizada.

Eu entendo que essa cena se propõe a expor o cinismo da Espoleta que, logo em seguida, expõe a sua carta na manga: o aborto realizado pela Luz-Estrelar. Ainda assim, não sei se por medo, ignorância ou só falta de vontade, esse grupo de homens ainda não apareceu tanto na série, ainda que os trolls tenham sido citados e, geralmente, trata-se da mesma comunidade.

E falando em aborto…

Espoleta e Luz-Estrelar, da série The Boys.

Créditos: IMDb
Espoleta e Luz-Estrelar. Fonte: IMDb

A cartada da Espoleta é óbvia: ofuscar o fato dela ter tido relações sexuais trazendo um tema ainda mais polêmico e muito menos tolerado, que é o aborto. Com seus problemas pessoais com a Luz-Estrelar e, agora, com motivações políticas, o assunto foi, com certeza, eficiente para diminuir os votos contra a Vought.

Com isso, a Espoleta conseguiu desestabilizar a Luz-Estrelar que, em um ataque de fúria, espancou a conservadora em frente às câmeras. Esse foi, com certeza, seu maior erro. É exatamente aqui que o cinismo senta na janela e acena de longe. É exatamente aqui que a Luz-Estrelar deverá lidar com ataques, enquanto a Espoleta recebe o seu troféu de mulher honrada.

Atualmente, com a PL 1904 no Brasil, o aborto voltou a ser um debate acalorado. Com o presidente em cima do muro, confesso que The Boys demonstra ser cada vez mais realista, apesar de não abranger todos os alvos de sua crítica – se é que isso é possível.

O que me decepcionou, mas acredito que mudará, é a submissão da Luz-Estrelar frente às opniões e aos ataques. Ela tenta se justificar ao Hughie, meio que tentando justificar a si mesma, o seu feito. Ela fica com pena de si. Nesse ponto, espero que ela aprenda um pouco com a Espoleta que vazou sua própria foto e se aproveite da situação.

Apesar disso tudo, acredito que o objetivo de The Boys, nesse momento, é falar sobre como o aborto não é uma decisão tão banal quanto acreditam ser os conservadores e que retomar o assunto pode fazer com que a mulher reviva essa emoção complexa. Contudo, garantir que a mulher sofra por ter abortado é exatamente o desejo dos conservadores. Assim, aguardo o momento em que a Annie dê a volta por cima.

Quando o vilão justifica sua fúria

Personagem Bárbara da série The Boys.

Créditos: Prime Video.
Bárbara, The Boys. Prime Video.

Enquanto tudo isso acontece, o Capitão Pátria decide que é uma boa hora para atormentar a vida daqueles que o atormentaram. Sua vingança pode gerar em alguns aquele sentimento de, “coitadinho, ele sofreu tanto! Por isso é assim…”, o que é perigoso, considerando que esse reviver esse passado sombrio pode “justificar” seu comportamento hoje. Então, assim como aconteceu com Clube da Luta e Psicopata Americano, o Capitão Pátria será o próximo canonizado nas redes sociais.

E é aí que entra a figura de Bárbara, uma das pessoas responsáveis pelo sofrimento do Capitão Pátria, ou John, quando ele era apenas uma criança. Ela, aparentemente, não é intimidada por ele. Na verdade, quase consegue colocá-lo em seu lugar.

Porém, agora ela já não é o suficiente para acalmá-lo. E é nesse momento que ele decide matar todos os cientistas na frente de Bárbara a fim de aliviar o seu ressentimento.

Em dado momento, é dito que os cientistas estavam “apenas fazendo o seu trabalho” e não protestavam contra o que estava acontecendo ali “por medo”. Isso pode ser verdade, mas ao voltarmos para o mundo real, precisamos reconhecer que mesmo quem “apenas faz seu próprio trabalho” ou “cumpre ordens” geralmente é conivente com seu superior em algum grau. Isso é verdade especialmente em contextos militares.

Contudo, é claro que o grau de culpa dessas pessoas é menor do que o “cabeça” de toda a situação. No final das contas, eles também são fantoches e, sim, medrosos. Talvez o Capitão Pátria saiba disso e, por essa razão, não matou Bárbara: o terror psicológico é mais duradouro e, em certo aspecto, faz sofrer mais.

O Capitão Pátria foi construído para buscar validação

Em sua conversa com Bárbara, o Capitão descobre que sua necessidade de ser amado e ter suas ações validadas foi construída por meio da influência de psicólogos.

Em um primeiro momento, achei essa afirmação irresponsável, como se John fosse quase absolvido de sua culpa por ser tão egoísta e mimado. Depois, pensei que essa possa ser uma metáfora – clichê, sim – da série para dizer: não é da natureza masculina ser mimado e egoísta. Na verdade, os homens são construídos para serem assim e terem sempre uma figura feminina para proverem suas necessidades.

Enquanto isso…

Kimiko e Francês na série The Boys da Prime Video.
Kimiko e Francês, Prime Video.

Voltando ao assunto sobre fantoches: o Francês realmente colheu o que plantou. Após ter matado a família do seu “ficante”, ele assume a culpa e aceita apanhar sem revidar.

Como dito anteriormente: até que ponto um fantoche é conivente com seu superior? E qual a diferença entre a submissão do Francês, que envolvia certa ceguez amorosa, com a de cientistas que decididamente foram fazer seus experimentos na Vought e, acima disso, fizeram de coração duro, zombando das crianças.

Isso, por si só, demonstra que Francês está realmente arrependido desse passado e, há muitos e muitos episódios, teve coragem de protestar contra a máfia russa. O fato de aceitar sua culpa também demonstra isso. O que me preocupa, porém, é ele ser tão consumido por esse sentimento até ser incapaz de seguir com seus protestos.

Outra pessoa que também tem um passado sombrio é a Kimiko. Aquela mulher misteriosa que tentou matá-la parece ter suas razões para isso, e Kimiko parece reconhecer sua culpa, assim como Francês.

Uma, porém, que parece ser ela por ela mesma, é a Mana Sábia. Ela parece desprezar ambos os lados: os “Meninos” e a Vought e seus Supers. Apesar disso, ela se une com quem sente repulsa para alcançar algum objetivo que, até o momento, não ficou claro. Ela realmente concorda com o Capitão Pátria? Eu duvido. Ela tem algum plano para contornar as consequências do que está fazendo? Não sabemos. Mas sabemos que, sim, é necessário se lobotomizar para suportar o ambiente em que ela está.

Leia mais:

4 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *